Afinal, vale ou não a pena aceitar planos odontológicos no consultório?'

Afinal, vale ou não a pena aceitar planos odontológicos no consultório?

Segundo a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), em setembro de 2018 havia 24.053.977 beneficiários de planos odontológicos no país. É um número alto, por isso muitos dentistas se questionam se vale a pena aceitar atendimentos por convênios.

É uma decisão que vai caber a cada profissional, pois são vários fatores envolvidos. É importante conhecer as vantagens e desvantagens de trabalhar dessa forma e, assim, refletir se é ou não uma boa opção se credenciar a essas empresas.

Se você também passa por esse dilema, acompanhe atentamente o post que preparamos para você. Listamos os prós e contras do plano odontológico para que você consiga tomar a melhor decisão. Acompanhe!

Como funciona o plano odontológico?

É uma maneira de oferecer tratamentos odontológicos por um valor reduzido à população. Geralmente, são empresas que incluem o plano odontológico como benefício a seus funcionários, podendo pagar integralmente ou parcialmente suas mensalidades.

No entanto, muitas pessoas resolvem contratar o convênio odontológico por conta própria, já que têm a vantagem de pagar um valor pequeno por mês e conseguir realizar uma série de procedimentos de saúde bucal que teriam um custo mais elevado.

O profissional que tem interesse em fazer parte de uma empresa de planos odontológicos precisa se credenciar e estar de acordo com as regras do serviço, que diferem do atendimento particular.

Quais são as vantagens?

Se você está em dúvida sobre fazer ou não o credenciamento nos planos odontológicos, veja a seguir as vantagens!

Aumento no número de pacientes

Com o plano odontológico você terá sua agenda cheia, pois a procura dos pacientes será maior — inclusive de pessoas de regiões mais afastadas do seu consultório e que têm o plano como benefício de sua empresa.

Além disso, muita gente que não teria como arcar com o tratamento procura o dentista quando conta com o convênio.

É também uma possibilidade de oferecer procedimentos não cobertos pelo plano e, assim, atender esses mesmos pacientes de forma particular. Como eles já conhecem sua clínica, confiam em você e nos seus serviços, pode ser mais fácil fazer essa fidelização.

Possibilidade de indicações

Falando em fidelização, se o paciente que você atendeu via convênio gostar do seu atendimento, há grandes chances de ele indicar seus serviços para familiares e amigos. É uma maneira de sua clínica conseguir uma divulgação espontânea e atrair mais público, inclusive para o atendimento particular.

Visibilidade para quem está começando

Com o seu nome constando na lista de credenciados, seu consultório ganha visibilidade. É uma forma de conseguir publicidade gratuita — o que pode ser importante para profissionais que estão em início de carreira e ainda não têm volume grande de pacientes.

Não há custo para o credenciamento

Os dentistas que quiserem fazer parte da rede de um convênio odontológico não precisam pagar nada. O que se exige para o credenciamento é o cumprimento de alguns pré-requisitos, que podem variar de acordo com a operadora — como tempo mínimo de formação ou ainda a obrigatoriedade de o profissional ser pessoa jurídica (PJ).

Quais são as desvantagens?

Agora que já apresentamos os prós dos planos odontológicos, é importante que você também conheça os contras. Veja a seguir!

Muita burocracia

Com o atendimento via convênio sua agenda vai ficar mais cheia, no entanto você gastará muito tempo com a burocracia exigida pelas operadoras. É preciso preencher corretamente as guias e pegar a assinatura dos pacientes, pois qualquer erro pode gerar uma glosa e, assim, há o risco de você não receber pelo procedimento. Nesse caso, é fundamental que você conte com uma secretária treinada para evitar dor de cabeça com o recebimento.

Além disso, é necessário verificar a situação do paciente para saber, por exemplo, se as carências já foram cumpridas ou se existe alguma pendência que impeça o atendimento. Sem contar que o dentista é obrigado a enviar imagens e radiografias para caracterizar o tratamento — o que seria dispensável no atendimento particular.

Valores dos procedimentos abaixo do mercado

Se não bastasse a burocracia, uma das maiores queixas dos dentistas em relação aos planos odontológicos é referente aos baixos valores pagos pelos procedimentos.

Essa conduta das operadoras pode inviabilizar o atendimento, pois há custos altos envolvidos em cada procedimento — como energia, equipamentos, materiais odontológicos, além, é claro, do valor do trabalho do especialista.

É uma situação difícil, pois você não vai adquirir materiais mais baratos, de baixa qualidade, que podem pôr em risco a sua reputação e segurança dos pacientes, não é mesmo?

Demora no recebimento

Outro ponto é a demora para receber pelo serviço prestado. Muitas vezes, o dentista pode demorar até dois meses para conseguir o pagamento, o que pode comprometer o planejamento financeiro da sua clínica.

Sobrecarga de trabalho

Uma das vantagens do atendimento pelo plano odontológico é o aumento do número de pacientes, essencial para aqueles dentistas que estão em início de carreira.

No entanto, para quem já tem mais tempo de mercado, ter a agenda cheia com pacientes de planos odontológicos pode significar sobrecarga de trabalho. Isso porque, para conseguir ter um retorno financeiro que compense, o profissional terá que atender um número grande de pessoas por dia.

Dessa forma, as consultas terão que ser mais rápidas, o que pode comprometer a qualidade do atendimento — já que a odontologia é uma área da saúde que trabalha com detalhes, ou seja, não combina com a pressa.

Além disso, é preciso criar estratégias para não ficar com espaços vagos na agenda, evitando faltas e atrasos dos pacientes. Nessa hora, pode ser interessante contar com a comunicação via WhatsApp, principalmente para a confirmação das consultas.

É importante analisar com bastante cuidado as vantagens e desvantagens de atender pacientes de um plano odontológico antes de tomar a decisão de se credenciar. Se você ainda tem dúvidas, se informe: peça referências sobre as operadoras com outros colegas e tenha bem claro quais são as regras para esse tipo de atendimento.

Gostou das nossas dicas voltadas para a rotina da sua clínica? Fique por dentro de outros assuntos sobre gestão do seu consultório — é só seguir as páginas da Emfils nas redes sociais! Estamos no Facebook, LinkedIn, Twitter, YouTube e Instagram!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nome *