Cirurgia flapless e cirurgias convencionais: conheça as diferenças

Cirurgia flapless e cirurgias convencionais: conheça as diferenças

Estudos e pesquisas na área da odontologia têm levado ao desenvolvimento de técnicas e métodos mais eficazes para realização de tratamentos. Também os processos cirúrgicos evoluíram muito ao longo dos anos, sendo que a cirurgia flapless é um bom exemplo disso.

Esse tipo de operação apresenta alguns diferenciais em relação às técnicas convencionais, o que possibilita alcançar resultados melhores pelo fato de ela ser minimamente invasiva, o que facilita o trabalho do cirurgião e aumenta o conforto do paciente.

Fomos conversar com o Dr. Ricardo Bertholdi, cirurgião-dentista e mestre em implantodontia, para que ele nos explicasse um pouco mais a respeito da cirurgia flapless e em que ela difere do procedimento convencional. Continue a leitura e saiba mais!

O que é cirurgia flapless?

O primeiro ponto que devemos esclarecer sobre a cirurgia flapless é que ela não pode ser confundida com a cirurgia guiada, porque, conforme explica o Dr. Bertholdi, “na cirurgia guiada é possível usar as duas técnicas, convencional ou flapless, ao utilizar um guia cirúrgico para orientar o trabalho”.

Essa técnica consiste em não realizar a elevação do retalho de gengiva, ou seja, não é necessário fazer cortes horizontais ou verticais para afastar a gengiva do osso. A intervenção realizada nos tecidos é mínima, pois quando precisamos fixar um implante em uma gengiva já cicatrizada, por exemplo, utilizamos um bisturi circular. Ele extrai apenas uma pequena porção da gengiva em que será feita a perfuração.

Entretanto, nos casos em que a extração de um dente é realizada e logo em seguida é feita a colocação do implante não é necessário nem o corte circular, porque o tecido já estará aberto e aquele espaço é aproveitado para implante.

Esse é o grande diferencial da cirurgia flapless para os procedimentos convencionais, em que é preciso fazer esse corte na gengiva para que o retalho seja elevado e haja a exposição do osso. Embora seja uma técnica ainda aplicada e que apresenta as suas vantagens, a cirurgia convencional aumenta o tempo de operação e exige cuidados muito maiores, pois há mais riscos de complicações durante o pós-operatório.

Como funciona a cirurgia flapless guiada?

Não há nada que impeça a realização da cirurgia flapless sem o uso de um guia cirúrgico. No entanto, o procedimento se torna muito mais arriscado sem esse suporte, já que não conseguimos visualizar a base óssea na qual o implante será fixado.

“Para usar uma técnica flapless o mais indicado é fazer de forma guiada, pois você não vai abrir retalho, não está vendo, então seria um tiro no escuro; o profissional deve usar a combinação da forma flapless com guiada”, explica Bertholdi.

Sem a elevação do retalho o profissional não tem como conhecer a anatomia do paciente e não sabe a quantidade de tecido ósseo disponível. Isso dificulta muito o trabalho e aumenta as chances de perda do implante.

Associando as duas técnicas será feito um planejamento prévio com a produção do guia cirúrgico, que possibilitará ao cirurgião analisar todos esses detalhes para que o implante seja fixado no lugar correto sem risco de danificar outras estruturas, como nervos e vasos sanguíneos.

É por isso que algumas vezes a cirurgia flapless é confundida com a guiada, já que as duas técnicas são comumente associadas justamente para viabilizar o trabalho do profissional.

Quais as diferenças entre a cirurgia flapless e a convencional?

Tanto a cirurgia flapless quanto a convencional apresentam as suas aplicabilidades e trazem vantagens para o profissional e ao paciente. Ambas são indicadas na implantodontia, mas um procedimento é mais adequado do que o outro dependendo das circunstâncias.

Quando não vamos utilizar um guia cirúrgico, por exemplo, é melhor aplicar a técnica com elevação de retalho para que seja possível visualizar o osso e fazer a intervenção com mais segurança para o paciente. Mas se vamos utilizar o guia, então a flapless é a melhor opção por ser mais prática, confortável e menos invasiva.

A seguir, listamos algumas das diferenças entre esses dois procedimentos para que você compreenda as variações entre eles.

Duração da cirurgia

A cirurgia convencional tem uma duração maior do que a flapless em função da necessidade de fazer incisões na gengiva e o levantamento do retalho. Isso requer um cuidado maior para não danificar outras estruturas e também exige outros procedimentos como a sutura para que tecido seja reposicionado.

Conforto do paciente

Com a técnica flapless o conforto do paciente durante o procedimento cirúrgico e na fase pós-operatória é maior. Afinal, as intervenções realizadas no tecido mole são mínimas, o que reduz as dores e edemas provocados pelo procedimento. Na convencional a área trabalhada é maior, fazendo dela uma técnica mais desconfortável.

Tempo de recuperação

Como na técnica sem levantamento de retalho trabalhamos apenas no local em que será feito o implante, não há danificações em outras áreas, fazendo com que a recuperação do paciente seja mais rápida. Além disso, minimizamos os riscos de complicações como inflamações ou infecções, porque foi aberto somente o espaço necessário para realização do procedimento.

Sangramento

Outra característica interessante da cirurgia flapless é o fato de que o profissional trabalha em um ambiente limpo, porque o sangramento é mínimo, bem menor do que na técnica convencional. Também não existe o risco de infiltração do material de moldagem, pois não há elevação de retalho. O paciente perde menos sangue e o trabalho do cirurgião é facilitado.

Custo do tratamento

A tendência é de que a cirurgia convencional tenha um custo mais elevado do que a flapless. Afinal, ela é mais complexa e demorada, o que eleva o investimento do paciente no tratamento e também exige mais tempo de trabalho do profissional. Sendo assim, a técnica sem elevação de retalho traz vantagens financeiras para ambas as partes.

Por que é melhor investir em cirurgia flapless?

Como você pôde perceber, a cirurgia flapless é mais vantajosa tanto para o profissional como para o seu paciente. O Dr. Bertholdi ressalta que a técnica “apresenta as vantagens de conforto e satisfação para os pacientes” e que “ela diminui a dor, o desconforto imediato do pós-operatório e existe uma menor manipulação dos tecidos, então automaticamente a recuperação será melhor.”

A cirurgia flapless possibilita realizar os tratamentos de uma forma muito mais rápida em um ambiente limpo e minimiza os riscos de complicações no pós-operatório. As chances de sucesso são elevadas, o que melhora a qualidade do tratamento e aumenta a satisfação do paciente, como dito, dando mais credibilidade ao profissional e o reconhecimento do seu público.

A flapless é uma cirurgia moderna que associada à técnica guiada facilita muito o trabalho do cirurgião. Por isso, é uma excelente alternativa para quem deseja aprimorar os procedimentos oferecidos, melhorar a sua produtividade e agregar um diferencial a sua carreira.

Conheça mais técnicas e procedimentos para modernizar os seus atendimentos. Assine a nossa newsletter e receba conteúdos e informações diretamente em seu e-mail.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nome *