Como encontrar material odontológico de qualidade para seu consultório?

Como encontrar material odontológico de qualidade para seu consultório?

Um trabalho de qualidade realizado pelo dentista envolve, além de todo o conhecimento científico e técnico, o uso de material odontológico de primeira linha. Afinal, estamos falando de tratamentos de saúde, muitas vezes com a realização de cirurgias e de outros procedimentos delicados.

Por isso, é importante utilizar produtos de bons fornecedores em seu consultório, pois isso se reflete na qualidade e na segurança de seu trabalho e, por conseguinte, na sua reputação.

Preparamos este post para ajudar os odontólogos a adquirirem materiais de qualidade — como os implantes dentários. Acompanhe e fique alerta, principalmente quanto aos perigos da aquisição e uso de itens piratas!

Importância do fornecedor de qualidade

No dia a dia, somos exigentes quanto à procedência de um produto, certo? Mas quando se trata da área de odontologia, principalmente em procedimentos cirúrgicos, essa questão ganha uma dimensão ainda maior — um material que apresente irregularidades pode trazer sérios riscos à saúde do paciente.

Vamos fazer uma analogia: o que diferencia um implante dentário de um prego, por exemplo, é que, se o prego entortar, a pessoa retira da parede e coloca outro, sem nenhum problema. Agora, com o implante, é diferente — o dentista pode até pôr outro implante, mas isso requer um ato cirúrgico, que envolve pessoas.

Portanto, na hora de adquirir material odontológico, é fundamental selecionar fornecedores com referência no mercado e que trabalhem com produtos de alta qualidade.

Previsibilidade

É importante ter em mente a previsibilidade do resultado, o que é primordial em um procedimento odontológico. Dessa forma, trabalhar com bons fornecedores permite que tenhamos uma maior a previsibilidade, e assim sendo, melhor será o trabalho desempenhado pelo profissional, que será realizado com segurança e atingirá as expectativas dos pacientes.

Registro na Anvisa

Mas a rotina dos dentistas, com os atendimentos e a gestão do consultório, é tão corrida, então como identificar os melhores fornecedores? O primeiro aspecto é que os produtos devem, obrigatoriamente, apresentar em suas embalagens o registro da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), órgão que regulamenta tanto as empresas quanto os consultórios.

Porém, ninguém precisa estar com o produto em mãos para fazer essa checagem. O profissional pode consultar se há esse registro no próprio site da Anvisa. Isso porque o selo na embalagem pode ser falso — visto que pessoas mal-intencionadas podem pegar um número qualquer para constar como autorizado pelo órgão de vigilância sanitária. Dessa maneira, se o dentista não entrar no site e confirmar, corre risco de ser enganado.

Assim, se você verificar que não há aprovação desse órgão, deve descartar o fornecedor da sua lista imediatamente. Adquirir um material sem registro é bastante perigoso, pois a utilização pode ser considerada crime hediondo, principalmente na área cirúrgica, e o dentista é responsabilizado por isso.

Análise do custo-benefício

De acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Artigos e Equipamentos Médicos e Odontológicos (Abimo), dos mais de 2,5 milhões de implantes dentários produzidos no Brasil, cerca de 30% do mercado utiliza o componente protético pirata, ou seja, sem procedência.

Para não correr o risco de adquirir peças piratas, cabe ao dentista observar a postura do vendedor. Geralmente, aqueles que oferecem materiais odontológicos irregulares se apresentam de modo mais informal e com produtos abaixo do preço de mercado.

“O barato que sai caro”

Por isso, um alerta é em relação ao valor apresentado pelo fornecedor, ou seja, desconfie de preços muito atrativos. Sabe aquele ditado: “o barato sai caro”? Nesse caso, não se trata apenas de prejuízos financeiros, mas também de pôr em risco a saúde dos pacientes e a reputação do profissional.

Quem trabalha com produtos irregulares não toma todos os cuidados exigidos pela Anvisa. Por exemplo: o fornecedor não pode receber a devolução de uma embalagem aberta, já que é impossível saber se a peça que está lá dentro é realmente a que o dentista adquiriu. Dessa forma, quando o profissional abre a embalagem do produto, ele não pode devolver ao fornecedor.

No caso desses produtos irregulares, o dentista abre, testa e devolve. Então, não é uma peça que nunca teve uso, pois, provavelmente, um segundo dentista está testando uma peça que outro profissional já testou, não gostou e devolveu.

Por essa razão, muitas vezes, nem é somente o preço que diferencia um material odontológico regular de outro irregular, mas a facilidade operacional do processo de compra, já que, nos casos da aquisição de produtos de qualidade, existe esse impedimento de testar a peça antes.

Assim, fornecedores mal-intencionados passam até mesmo a impressão de um melhor atendimento, já que acabam “agradando” os profissionais. No entanto, não cumprem as regras de higiene sanitária e de segurança.

Qualidade do atendimento

Então, como diferenciar um bom fornecedor pelo atendimento? A qualidade do atendimento deve ocorrer desde o primeiro contato com a empresa até o pós-venda. Isso significa que o profissional pode tirar todas as dúvidas quanto ao material e saber sobre o processo de produção e tecnologias utilizadas.

Cumprimento de prazos, garantias, apresentação de um catálogo com informações técnicas, bem como a entrega de uma peça sem qualquer defeito completam um atendimento que pode ser considerado de excelência.

Referências

Nesse ponto, o dentista deve se informar sobre a empresa também com referências de outros colegas, que podem compartilhar as experiências boas ou ruins a respeito da aquisição e uso do produto odontológico.

Credibilidade no mercado

Para comprar material odontológico de qualidade, é preciso verificar ainda se:

  • a empresa é idônea;
  • tem uma boa reputação no mercado;
  • seu atendimento é diferenciado.

É importante salientar que somente o fato de ter registro na Anvisa não garante a qualidade do produto. Esse aspecto apenas sinaliza que a empresa cumpriu as regras sanitárias estabelecidas pelo órgão. Porém, outros fatores, como o que citamos anteriormente, devem ser avaliados.

Pesquisas científicas

Por último, um ponto fundamental é analisar o trabalho do fornecedor, no caso de implantes dentários, também em relação às pesquisas científicas para desenvolvimento e testes dos produtos. É preciso que ocorram testes com o material antes da utilização em pacientes — com simulações em laboratórios ou em animais para depois colocar o item no mercado.

No entanto, um alerta: muitas empresas desse setor não realizam nenhum trabalho científico para atestar a qualidade e segurança dos implantes produzidos. Elas simplesmente desenvolvem o produto e o colocam à venda.

E como ter essa informação? Os próprios fabricantes apresentam isso em seus sites, como no caso da Emfils, que oferece soluções inovadoras na implantodontia. O profissional encontra as pesquisas que embasam o desenvolvimento do produto, com informações sobre como foram feitos os testes e os resultados dos ensaios — in vivo e in vitro.

Agora você já sabe o que deve avaliar para ter certeza de que está comprando um material odontológico de qualidade para o seu consultório. Todo o trabalho do dentista depende dos itens que ele utiliza em seus procedimentos, que devem ser de primeira linha para oferecer bons resultados e segurança.

Quer adquirir implantes dentários de alta qualidade? Entre em contato com a Emfils, referência nesse setor!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *